Páginas

Orgonite Energia Positiva

Orgonite Energia Positiva

sábado, 27 de dezembro de 2014

A magia dos cristais através dos tempos...

 

"(...) Desde sempre que os Cristais e as Pedras Preciosas representam, em todas as Civilizações, peças de culto e de veneração, não pela sua beleza ou raridade, mas pelos valores espirituais que lhes são atribuídos.

Já no Livro do Êxodo, na Bíblia, se fala que Aarão usava sobre o peito um peitoral com doze pedras preciosas, combinadas, de maneira especial, em quatro fileiras. Este peitoral, usado sobre o coração dava a Aarão o poder de Deus. Essas jóias, dispostas de forma que se desconhece, possuíam em si próprias enormes poderes espirituais.

Os Índios maias e americanos utilizavam (e ainda utilizam) cristais para diagnosticarem e curarem certas doenças.

Os cristais de quartzo límpido, eram especialmente venerados e respeitados pelos Índios mexicanos que acreditavam que quem levasse uma vida de bem e positiva, teria a sua alma encerrada num cristal de quartzo após a sua morte e que, se encontrado por algum afortunado, com ele estabeleceria contacto, o ajudaria e guiaria, tornando os seus desejos em realidade.

Em muitos escritos gregos e romanos se encontram referências a pedras e cristais utilizados na cura de doenças, no fabrico de talismãs e na execução de jóias para protegerem e atrairem boas vibrações.

Na Índia, reis, príncipes e altos dignatários das cortes juntavam e procuravam adquirir as melhores pedras preciosas para se protegerem do Mal e podem-se ler, em muitos tratados astrológicos com mais de 400 anos a.C., observações, anotações e conselhos sobre a utilização de pedras preciosas e cristais na cura e tratamento de diversos males físicos e espirituais.

Também nos Vedas e nas escrituras do Ayurveda se fala das pedras preciosas e dos seus poderes, bem como no seu uso em jóias e talismãs. 
Aliás, as mulheres na antiga Roma utilizavam muito os brincos com safiras azuis para que os seus casamentos fossem bem sucedidos;
 a ametista para lhes dar coragem, confiança e garantir a sua castidade;
 o coral era usado para evitar todos os males que pudessem advir de incêndios, naufrágios e relâmpagos;
 o rubi como antídoto para o veneno e para espantar a tristeza e as depressões originadas por pensamentos ou atitudes negativas;
 o diamante para impulsionarem os seus utilizadores à vitória nos campos de batalha…

Hoje em dia a ciência utiliza diversos cristais aproveitando as suas propriedades específicas para transmitirem ou ampliarem diversos tipos de energia, de forma diversa.

O quartzo como oscilador em aparelhos de rádio e diversos tipos de equipamento electrónico, ou como capacitor para modificar a capacidade de energia nos circuitos, ou ainda como condensador, capacitor ou transdutor, relógios de quartzo, computadores, aparelhos de ultra-som, etc.

 O rubi está a ser aplicado em aparelhos laser para fins medicinais, especialmente na cirurgia microscópica, e muitos outros cristais e pedras preciosas vão tendo a sua aplicação na moderna tecnologia deste fim de século.

Entretanto, e a par desta “descoberta” científica para a utilização dos cristais, os Homens vão, aos poucos, redescobrindo a utilização destas maravilhosas criações da Natureza, e as suas aplicações na cura e amplificação da consciência, utilizando, finalmente, os conhecimentos acumulados ao longo de séculos e milénios, pelas mais antigas civilizações.

No capítulo das jóias, os cristais e pedras preciosas desempenham um papel fundamental para o equilíbrio físico, estabilidade emocional e clareza mental de quem as usa. Cada pessoa deveria utilizar apenas as pedras e cristais que lhe são afins e que poderão contribuir para o seu bem-estar, encastoadas em anéis, alfinetes, colares, etc.

No princípio dos tempos, cristais a que atribuíam determinadas energias, eram colocados no centro dos locais de vivência, e venerados; mais tarde, amarrados a cordões, foram pendurados ao pescoço, pulsos, tornozelos e cabeça, para uma maior receptividade da força emanada. 
As jóias, tal como as vemos hoje, são o resultado directo dessas “pedras” amarradas a cordões, mas sem a aplicação desse conhecimento empírico, mas verdadeiro, das características particulares de cada pedra ou cristal. Tal como nos diz Katrina Raphaell, uma das maiores estudiosas das propriedades curativas dos Cristais e Pedras Preciosas:

“Quando se desenha e usa conscientemente uma jóia com finalidades curativas, as criações tornam-se em verdadeiras obras de arte que propiciam poderes a quem as utiliza. Quando se usam Cristais e Pedras, a sua energia mistura-se ao campo ou aura magnética humana. Na medida em que a luz reage às pedras e as vibrações de cor se reflectem de volta à aura, as frequências intensificadas da cor, servem para dissipar e neutralizar a tensão física e emocional.
Ao aumentar as subtis energias curativas e a força de luz ao redor do corpo, obtém-se maior poder e equilíbrio pessoal. Aliada à perfeição embelezadora, também é possível criar jóias que conscientemente utilizem as propriedades curativas e os dons especiais que as pedras têm a oferecer. Tais criações, com desenho exclusivo, tornam-se. então, peças de poder pessoal que ajudarão aqueles que as usam a atingir estados de consciencialização ou a alcançar metas."
Fonte:http://www.fotosantesedepois.com/cristais/

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...